.

.

domingo, maio 20, 2018

Ana Clara diz que recebeu conselhos de Anitta e fala de fama: 'Sinto falta de sair e ficar loucona'


Ana Clara não levou o prêmio de R$ 1,5 milhão, mas saiu vitoriosa do “BBB 18”.
A carioca de 21 anos ganhou uma legião de fãs anônimos e até famosos aqui fora. Virou amiga de Anitta, Fernanda Souza, Giovanna Lancellotti e coleciona, até o momento, 6,3 milhões de seguidores no Instagram, sendo hoje a terceira ex-BBB mais bombada na rede (atrás apenas das musas Sabrina Sato e Grazi Massafera).

“Nem consigo entender isso, juro! Não sei quando vou conseguir assimilar”, diz, ainda surpresa.
'Quero sair de casa e morar sozinha'

Um mês após sua saída do reality show, a estudante de Jornalismo segue com prestígio, inclusive na TV Globo, sonha alto e vai fazendo planos com o mundo de oportunidades que se abre para ela, enquanto negocia seu futuro com a emissora (ela desconversa sobre ter feito um teste para a próxima novela das sete e se vê apresentando um programa):

“Quero muito ter a minha independência financeira, sair de casa e morar sozinha. Quando eu era mais nova, falava que com 16 anos eu ia trabalhar, ficar rica. A louca (risos)”.

No ritmo que está indo, logo, logo, Ana Clara deixará a confortável casa dos pais, em Jacarepaguá, e terá um canto para chamar de seu. E, quem sabe, se livrará das broncas de Aryton, o Papito:

“A gente continua brigando igual, não tem nenhuma diferença”, admite.


'Anitta falou para eu não largar a faculdade'

Com um contrato com a Globo até o fim do ano e prestes a receber o carro e os R$ 70 mil que ganhou no programa, a ruiva tem ofertas para faturar com publicidade na rede social.

"Não quero relacionar a minha imagem com qualquer coisa. Também não quero ser só uma ex-BBB. Quero ser alguém com uma carreira no futuro”, planeja ela, que tem recebido conselhos sobre o mundo artístico de ninguém menos que a Poderosa.
A cantora fez campanha pela vitória de Ana Clara no “BBB” e mandou uma mensagem privada para ela no Instagram quando a estudante deixou o programa.

“Ela me chamou para ir na casa dela, e de lá fomos ao show. Nos falamos sempre pelo WhatsApp. Ela já me deu várias dicas de trabalho, falou para eu não largar a faculdade e das chateações que a gente tem na internet”, entrega.


Atriz desde os 11 anos

Assim como Anitta, a integrante da Família Lima sonhava com o estrelato desde pequena. Começou a fazer teatro aos 11 anos, estudou cinema e TV e colocou o talento à prova num canal de vídeos na internet, que tinha 400 mil assinantes.

“Minha mãe me tirou do teatro porque eu não estava indo bem na escola. Foi a decepção da minha vida, fiquei ar-ra-sa-da”, enfatiza, ainda fazendo mistério sobre um possível futuro atuando:

“Sempre tive a consciência de que é muito difícil ser atriz. É um caminho muito longo, trabalhoso. Não tem nada ainda. Mas se rolar, vai ser incrível”.


A ex-BBB, no entanto, acredita que poderá se sair melhor comandando um programa:

“As pessoas gostaram do que viram na casa, que sou eu. Então, se eu apareço representando um papel, não seria mais eu”.


Bullying na infância

A fama sempre rodeou a ex-BBB.

“Era popular na escola e não discriminava ninguém”, lembra ela, entregando que já sofreu na pele como é ser vítima de bullying na infância:

“Me chamavam de gordinha e chata”, conta. “Você já foi gordinha, Ana Clara?”, questiona o repórter.

“Eu tô gordinha, né! (levanta a sobrancelha e aponta para a barriga, exagerando). Sei que preciso perder peso e um dia eu vou conseguir. Mas é que não gosto de malhar. Gosto de uma cervejinha e de comer”, explica.

'Odiava a escola'

Viciada em leitura ("Sempre gostei muito de ler, e as pessoas acham isso superdiferente. Eu acho normal", diz) a ruiva revela ainda (acredite!) que nunca foi uma boa aluna no colégio.

“Sempre ficava de recuperação e odiava (franze a testa, fazendo careta) a escola. Odiava todos as matérias com número, ficava de recuperação todo o ano e repeti uma vez, a sétima série. Não gostava de estudar, odiava acordar cedo e achava horrível o método. Sempre fui uma criança muito argumentativa, então, dizia que aquilo ali não era tão importante para as coisas que eu queria fazer”, opina, cheia de razão.


Primeiros beijos aos 14 anos

Ana Clara deu o seu primeiro beijo aos 14 anos numa festinha. Nunca namorou nem se apaixonou. Nem quer.
“Fico sozinha de boa. Sou uma pessoa muito bem resolvida comigo mesma. Acho que tem muita gente que não é e quer se relacionar com os outros”, justifica.

"Até tenho vontade de ficar com alguém, mas as pessoas, agora, nem olham pra mim. Parece que eu sou intocável (risos)".
 

Privacidade

O último beijo, ela garante, foi no confinamento, com o participante Breno (que deu um grande bafafá no programa, lembra?). Agora, famosa, ela lamenta não poder aproveitar a vida como gostaria.

“Queria ir numa boate com as minhas amigas e ser só mais uma no meio da muvuca. Beber, beijar na boca, ficar loucona... Estou sentindo falta disso, mas agora é impossível. A fama não me incomoda, eu gosto. Mas é claro que tem momentos em que eu queria que ninguém me conhecesse”.



Bem-vinda ao estrelato, Ana Clara.

EXTRA

sábado, maio 19, 2018

Boa tarde Comentando...







O miligre da renovação


" Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um individuo genial. Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Ai entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente."

(Carlos Drummond de Andrade)



Sol Hoffmann

terça-feira, maio 15, 2018

Boa noite Comentando...







Novo Tempo


No novo tempo, apesar dos castigos

Estamos crescidos, estamos atentos, estamos mais vivos

Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer

No novo tempo, apesar dos perigos

Da força mais bruta, da noite que assusta, estamos na luta

Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver

Pra que nossa esperança seja mais que a vingança

Seja sempre um caminho que se deixa de herança

No novo tempo, apesar dos castigos

De toda fadiga, de toda injustiça, estamos na briga

Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer

No novo tempo, apesar dos perigos

De todos os pecados, de todos enganos, estamos marcados

Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver

Pra que nossa esperança seja mais que a vingança

Seja sempre um caminho que se deixa de herança

No novo tempo, apesar dos castigos

Estamos em cena, estamos nas ruas, quebrando as algemas

Pra nos socorrer, pra nos socorrer, pra nos socorrer

No novo tempo, apesar dos perigos

A gente se encontra cantando na praça, fazendo pirraça

Pra sobreviver, pra sobreviver, pra sobreviver

Pra que nossa esperança seja mais que a vingança

Seja sempre um caminho que se deixa de herança

( Ivan Lins)
 

 
  
Sol Hoffmann

segunda-feira, maio 14, 2018

Boa noite Comentando...









Coisas que a vida ensina



Amor não se implora, não se pede, não se espera...

Amor se vive ou não.

Ciúmes é um sentimento inútil. Não torna ninguém fiel a você.

Animais são anjos disfarçados,

mandados à terra por Deus,

para mostrar ao homem o que é fidelidade.

Crianças aprendem com aquilo que você faz, não com o que você diz.

As pessoas que falam dos outros pra você, vão falar de você para os outros.

Perdoar e esquecer nos torna mais jovens.

A água é um santo remédio.

Deus inventou o choro para o homem não explodir.

Ausência de regras é uma regra que depende do bom senso.

Não existe comida ruim, existe comida mal temperada.

A criatividade caminha junto com a falta de grana.

Ser autêntico é a melhor e única forma de agradar.

Amigos de verdade nunca te abandonam.

O carinho é a melhor arma contra o ódio.

As diferenças tornam a vida mais bonita e colorida.

Há poesia em toda a criação divina.

Deus é o maior poeta de todos os tempos.

A música é a sobremesa da vida.

Acreditar não faz de ninguém um tolo. Tolo é quem mente.

Filhos são presentes raros.
De tudo, o que fica é o seu nome e as lembranças acerca de suas ações.

OBRIGADO,  DESCULPE  e  POR FAVOR!

são palavras mágicas,

chaves que abrem portas para uma vida melhor.

O Amor... Ah! o Amor...

O Amor quebra barreiras, une facções,

destrói preconceitos, cura doenças...

Não há vida decente sem Amor!

E é certo...quem ama e é muito amado,

Vive a vida mais alegremente!

(Arthur da Távola)

Sol Hoffmann

domingo, maio 13, 2018

Boa noite Comentando...







Olhe...


Quando estiver em dificuldade
E pensar em desistir,
Lembre-se dos obstáculos
Que já superou.
OLHE PARA TRÁS.

Se tropeçar e cair,
levante,
Não fique prostrado,
Esqueça o passado.
OLHE PARA FRENTE.

Ao sentir-se orgulhoso,
Por alguma realização pessoal,
Sonde suas motivações.
OLHE PARA DENTRO.

Antes que o egoísmo o domine,
Enquanto seu coração é sensível,
Socorra aos que o cercam.
OLHE PARA OS LADOS.

Na escalada rumo às altas posições
No afã de concretizar seus sonhos,
Observe se não está pisando EM ALGUEM
OLHE PARA BAIXO.

Em todos os momentos da vida,
Seja qual for sua atividade,
Busque a aprovação de Deus!
OLHE PARA CIMA.

"Nunca se afaste de seus sonhos,
pois se eles se forem,
você continuara vivendo,
mas terá deixado de existir".

(Charles Chaplin)



Sol Hoffmann

sábado, maio 12, 2018

Boa noite Comentando...





Controle-se e descontrole-se


"Quanto mais tento controlar o que está fora de mim, mais eu "ME" descontrolo."

Repita essa afirmação em voz alta e veja como você se sente.
Em seguida pense nas coisas e nas pessoas que você quer ter sob seu controle.
Pergunta: essas coisas e essas pessoas conseguiriam existir sem você?
Sua resposta deve ser extremamente honesta. Não se engane.

Um dia aprendemos a abraçar a ilusão de que somos indispensáveis.
É essa ilusão que nos escraviza à necessidade de viver em constante vigilância
como se fosse muito perigoso deixarmos que tudo e todos seguissem e
prosseguissem sem nosso excessivo cuidado, que geralmente é cansativo
e estressante para os dois lados.

Aceitemos ou não, tudo está em permanente movimento,
e isso sempre envolve mudanças.
A razão maior de alguns sofrimentos é a resistência em aceitar que tudo pode
mudar sem que se consiga controlar o processo.

Nenhuma guerra teria acontecido neste mundo se não houvesse
tanta gente resistente a mudanças.
O que é uma guerra senão o desejo das partes envolvidas
de ver a sua vontade dominando?

E assim é conosco também. Vivemos pequenas, médias e grandes "guerras"
diariamente só pela vontade de dominar e de alterar as escolhas e rotas alheias.

A paz só pode estar presente no coração de quem visa apenas o controle sobre si mesmo.
Como se pode encontrar descanso, dormindo com um ôlho aberto e o outro fechado?
O cansaço se acumula, e o que não podemos segurar escapa cada vez
mais pelos vãos dos nossos dedos.

Se seguíssemos a ordem "Viva e deixe viver"
teríamos mais longevidade e menos doenças, além de
outros transtornos terríveis e sufocantes.

O fato é que não somos - nem podemos ser! - onipotentes, oniscientes e onipresentes.
É imprescindível para o nosso próprio bem que reconheçamos que só Deus pode sê-lo.

Já que não podemos ser "deuses", escolhamos ser gratos por ser mais uma obra de Deus,
obra esta que veio ao mundo para ser aprimorada e, acima de tudo, LIVRE!

A liberdade só é experimentada quando libertamos
o que não temos capacidade para segurar.

Se o seu coração e mente lhe parecem gaiolas fechadas,
abra as portas e deixe que voem os "pássaros" presos.

Aproveite essa atitude para voar livremente também.
Ninguém o seguirá no momento derradeiro e vice-versa.
Essa verdade é indiscutível e imutável como todas as Leis do Céu.

Liberte para libertar-SE.

(Silvia Schmidt)



Sol Hoffmann

sexta-feira, maio 11, 2018

Boa tarde Comentando...








"Eu aprendi que algumas vezes tudo o que precisamos é de uma mão para segurar e um coração para nos entender."


(William Shakespeare)



Você também poderá gostar de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...